Técnico Solar Boat

 

A CEI tem como hábito ajudar no desenvolvimento de projectos inovadores,  e mais uma vez, tem o orgulho de patrocinar projectos como o Técnico Solar Boat. 

Técnico Solar Boat é um projeto académico levado a cabo por estudantes do IST, cuja paixão pela engenharia os uniu. Têm como principal objetivo levar um navio construído por eles a diferentes competições. Este navio não é mais uma mera embarcação, este é um navio movido a energia solar cujo o comprimento total é de 6m por 2,4m e dirigido apenas por uma pessoa.

Recentemente entraram na prova que aconteceu no "Monaco Solar & Electric Boat Challenge". Têm a ambição de continuar a participar em diferentes provas internacionais onde sejam exemplos da engenharia de excelência.

 

 

 

FLEXSTONE - Novas Tecnologias para a competitividade da Pedra Natural

Projeto FlexStone

FlexStone

_____

O objetivo geral deste projeto foi desenvolver, testar, validar e demonstrar em ambiente real, dois protótipos industriais de equipamentos inovadores para a Pedra Natural, continuando com a estratégia LeanStone já validada com anteriores projetos de IDI em consórcio.

_____

Síntese do Projeto O presente projeto visa reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação. O Projeto FlexStone, liderado pela CEI, consistiu no desenvolvimento e demonstração em ambiente real de dois equipamentos totalmente inovadores para a Pedra Natural:  Equipamento para fabrico de tampos de cozinha por medida;  Equipamento multifuncional para a fábrica de protótipos em Rocha Ornamental. Partindo de atividade de I&D concluídas com sucesso, a CEI pretendeu evidenciar, perante um público especializado de Empresas de Pedra Natural, Entidades do Sistema Cientifico e Tecnológico e outros sectores sinergéticos, as vantagens económicas e técnicas das soluções a desenvolver e avançar para a sua validação, de forma a posteriormente puder utilizar as soluções comercialmente. Para a prossecução dos objetivos, os protótipos foram desenvolvidos pela CEI, apoiada pela INOCAM, empresa que desenvolveu o software, com demonstração em ambiente real em duas Empresas posicionadas no eixo de inovação: SOLANCIS e TORRE MARMORES. O Consórcio foi constituído por duas Entidades do Sistema Científico e Tecnológico, Universidade de Évora e Instituto Politécnico de Portalegre, de forma a garantir uma ampla divulgação de resultados, potenciar a demonstração sectorial e intersectorial dos protótipos e assegurar competências necessárias que completem os objetivos do Projeto (ensaios e estudos).

 

"A que cheira o Amarelo ?"

Campanha de sensibilização em S. João da Madeira

Comissão de Proteção de Crianças e Jovens cria Labirinto Sensorial pela não violência

 A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de S. João da Madeira uniu esforços com uma associação de jovens, uma escola, uma empresa, um espaço comercial e dois grupos de teatro para lançar um desafio à cidade e à região sob a forma de uma pergunta insólita e inesperada: “A que cheira o amarelo?”.

O objetivo é despertar a curiosidade e a atenção do público, sem desvendar o mistério, cuja revelação está reservada para quem percorrer o labirinto sensorial que está a ser criado no Centro Comercial 8.a Avenida, em S. João da Madeira.

A inauguração desse espaço “3 em 1” – exposição, instalação e performance – está agendada para 25 de novembro, no piso zero daquela superfície comercial, numa loja junto ao espaço infantil, onde ficará patente até 6 de dezembro, podendo ser visitada gratuitamente.

O público terá a oportunidade de experimentar diferentes sensações (visuais, auditivas, táteis, olfativas) que remetem, de uma forma lúdicopedagógica, para diversas vivências familiares das crianças e jovens, numa perspetiva de sensibilização para a nãoviolência.

“Propomos sensações contraditórias ao percorrer este Labirinto. Trata-se de uma proposta inusitada, sensorial, que propõe um espaço de confronto, mas também de reflexão e diálogo, para uma questão quase comum, estereotipada, que nos afeta enquanto comunidade”, afirma Paula Gaio, presidente da Comissão da Proteção de Crianças e Jovens de S. João da Madeira.

O Labirinto Sensorial que dá forma a esta campanha de sensibilização resulta de uma coprodução da CPCJ com a Associação Ecos Urbanos, o Agrupamento de Escolas Dr. Serafim Leite e a empresa CEI – Companhia de Equipamentos Industriais, Lda. com o apoio do Centro Comercial 8.a Avenida, do Grupo Oliveirense de Teatro Amador (GOTA), do Grupo de Teatro Oliveira Júnior (TOJ) e de outras instituições e empresas.